6    NOVOS TEMAS: 1998-... (O PRÓXIMO MOVIMENTO)

Agora que este movimento parece concluído cabe a pergunta: haverá um próximo?

Claro que sim! Felizmente as profissões que escolhi, de engenheiro civil e professor, estão constantemente a oferecer novos temas e inúmeras possibilidades de variações sobre eles. No meu programa de pesquisa em RTC, por exemplo, propus-me a coordenar o desenvolvimento de um programa em linguagem orientada para objetos que, mercê das características de encapsulamento, hereditariedade e polimorfismo dessa modalidade de programação, poderá oferecer aos alunos uma plataforma para a incorporação constante de novos modelos de adensamento, sem necessidade de se preocuparem com tarefas triviais. Tudo, é claro, segundo a minha visão de que aqueles que, como eu, se interessam por modelos matemáticos, têm no desenvolvimento de um programa a melhor maneira de se obrigarem a conhecer profundamente uma determinada formulação.

Também há, seguramente, muitas variações a serem feitas sobre os temas do primeiro movimento e sem dúvida elas continuarão sendo feitas, possivelmente em andamento mais lento, no segundo. Como acomodar, então, os novos temas que já vão surgindo e pedindo atenção?

A Geotecnia Ambiental, por cuja transformação em Especialidade propugnei no âmbito do PEF, talvez se preste a um belo minueto no terceiro movimento.

E o quarto movimento? Estará ele na forma de sonata?

Quisera escrever uma sinfonia ao estilo de Mahler, mas falta-me fôlego para tanto. E, além disso, certas analogias perdem a graça se levadas a extremos. Forma é importante mas não é tudo.

Sigo apaixonado pelo meu trabalho, fazendo Engenharia Civil e sendo professor com todo o entusiasmo de que sou capaz, convicto de que nasci para fazê-lo. Apaixonado sigo admirando a música de quem nasceu para ela!