Ponte da Normandia

 

http://bridgepros.com/projects/cable_stayed_bridge_projects.htm

 

 

A ponte da Normandia, situada na foz do rio Sena entre Honfleur e Le Havre (ver mapas abaixo), representou um grande avanço tecnológico para a construção de pontes estaiadas. Concluída em 1995 com 856 m de vão central, superou o recorde anterior de vão de uma ponte estaiada, o da ponte Skarnsundet (Noruega), em 326 m.

http://europa.eu.int/abc/maps/members/france_pt.htm

 

http://europa.eu.int/abc/maps/regions/france/ hautenm_pt.htm

Antes de sua construção, a ponte sobre o rio Sena mais próxima à costa era a de Tancarville (1959), 20 km para o interior. Embora este acesso tenha sido suficiente por muito tempo, por volta de 1980, a Câmara do Comércio e da Indústria de Le Havre lançou uma campanha para a construção de mais uma ponte, desta vez perto de Honfleur. Mostrando que a ponte iria aliviar o tráfego da ponte Tancarville e facilitar o acesso ao porto de Le Havre, a câmara conseguiu, em 1986, a autorização do governo francês para a sua  construção.

A partir de então, a repartição francesa de administração de projetos rodoviários (SETRA), sob a direção do engenheiro Michel Virlogeux (ver foto ao lado), passou a desenvolver o projeto. Após muitos estudos, chegou-se à conclusão de que a alternativa mais viável seria uma ponte estaiada com 2.141 m de comprimento total e com um vão central de 856 m apoiado em duas torres em formato de Y invertido, cada uma com 215 m de altura (ver esquema abaixo).

http://www.iabse.ethz.ch/about/general/virlogeux.htm

 

http://skyscraper.fortunecity.com/mmx/649/bridges/normandy/normandy.htm

http://www.lcpc.fr/en/sources/gdsouvrages_france/index2.dml

Desde o início do projeto, sabia-se que o tráfego marítimo existente no rio Sena (ver foto ao lado) exigiria uma ponte com um vão de pelo menos 800 m. Como, até o momento, não havia nenhuma experiência em ponte estaiada com este vão, grande parte dos engenheiros da SETRA achavam que a ponte da Normandia deveria ser uma ponte pênsil. Prevaleceu, entretanto, a opinião de Virlogeux que defendia a ponte estaiada pela economia que traria na instalação dos cabos e por não demandar maciços de ancoragem.

 

Mesmo não tendo optado por uma ponte pênsil, Virlogeux aproveitou algumas das características deste tipo de estrutura. Os tabuleiros em caixão fechado das pontes britânicas Severn e Humber, por exemplo, auxiliaram no desenvolvimento do piso da ponte da Normandia. O resultado final foi um tabuleiro ainda mais inovador, que conseguiu unir leveza com rigidez. Trata-se de uma estrutura híbrida, na qual os 624 m centrais são de aço e os  116 m de cada extremidade do vão central mais as vias de acesso são de concreto protendido.

Bridges – Three thousand years of 

defying nature (Página 151)

 

http://skyscraper.fortunecity.com/mmx/649/bridges/ normandy/normandy.htm

 

http://skyscraper.fortunecity.com/mmx/649/bridges/ normandy/normandy.htm

 

 

http://skyscraper.fortunecity.com/mmx/649/bridges/ normandy/normandy.htm

 

 

Durante a construção, foi necessário impedir a vibração excessiva da ponte, não apenas para evitar que fosse submetida a esforços elevados, mas também para permitir que as operações de montagem e de soldagem pudessem ser feitas com segurança. Como a utilização de cabos estabilizadores ancorados no rio interfeririam na navegação, decidiu-se utilizar um sistema de atenuadores (TMD - tuned mass-dampers) colocado nas extremidades em balanço do tabuleiro em construção até que, com a inserção de seu segmento final, o tabuleiro ficasse totalmente concluído (ver foto ao lado).

http://www.lcpc.fr/en/sources/gdsouvrages_france/index2.dml

 

 

http://www.lcpc.fr/en/sources/gdsouvrages_france/index2.dml

Os cabos de uma ponte estaiada podem apresentar vibrações indesejáveis produzidas pelo vento, pela água da chuva que corre pelos estais e também por pessoas caminhando pela ponte. Para diminuir estas vibrações, os estais da ponte da Normandia foram colocados em um tubo cilíndrico de polietileno de alta densidade em cuja superfície foram feitas ranhuras helicoidais a fim de impedir que a água da chuva pudesse formar uma tormenta ao escorrer pelos cabos. Apesar desta providência, mesmo na ausência de chuvas e com ventos fracos, os estais mais longos da ponte apresentaram vibrações excessivas, o que exigiu que cabos adicionais ligando os estais fossem colocados para diminuir suas vibrações (ver foto ao lado). Estes cabos foram colocados por alpinistas aptos a realizar este trabalho. Além disso, entre os seis estais mais longos, de cada um dos lados dos pilares, e o tabuleiro foram colocados amortecedores com até 44 cm de comprimento para diminuir as vibrações.   

 

 

Depois de pronta, a ponte da Normandia foi submetida a três testes reais, como ainda é o costume francês. No primeiro, observou-se o deslocamento vertical do tabuleiro na condição de seus 320 m centrais estarem com suas quatro faixas ocupadas por 80 caminhões totalmente carregados. No segundo teste, a parte central do tabuleiro foi amarrada com um cabo a um barco ancorado sob a ponte. Este cabo foi tracionado até romper e, conseqüentemente, provocar uma vibração vertical do piso, analisada pelos engenheiros. Já no último teste, o tabuleiro foi deslocado horizontalmente por um barco e, posteriormente, solto para que, desta vez, a vibração transversal pudesse ser analisada.

http://www.carte-postale.com/honfleur/honfleurvuedavion03.htm

 

 

No dia 20 de janeiro de 1995, após ter sido aprovada nos testes, a ponte da Normandia foi oficialmente aberta ao tráfego.

http://www.structurae.net/en/photos/img5357.php

 

 

Estágios da construção do piso

 

Le pont de Normandie. American Scientist (v.83, n.5, p.418)

 

 

Curiosidades

A ponte da Normandia possui 184 cabos estaiados.

 

Mais de 70.000 m3 de concreto foram utilizados na construção da ponte da Normandia.

 

O custo total  da ponte foi de 250 milhões de dólares.

 

O dinheiro arrecadado com o pedágio da ponte é utilizado para pagar os empréstimos feitos durante a construção.

 

 

 

Ficha Técnica

Nome Pont de Normandie
Sistema estrutural Ponte estaiada
Função Ponte rodoviária
Localização Na foz do rio Sena entre Le Havre e Honfleur, França
Época da construção 1989 -1995
Projeto Michel Virlogeux - SETRA (Service d'Etudes Techniques des Routes et Autoroutes) 

Charles Lavigne

Execução Bouygues, Campenon Bernard
Dimensões Comprimento total:   2141 m

Vão central:  856 m

Altura das torres:  215 m

Altura do tabuleiro:  3 m

Altura do tabuleiro sobre a água:  60 m

Material Aço e concreto protendido

 

 

Bibliografia

 

BROWN, D.J. Bridges – Three thousand years of defying nature. London: Mitchell Beazley, 1999. p.150-151.  

 

PETROSKI, H. Le pont de Normandie. Revista American Scientist, v. 83, n. 5, p. 415 - 419,  sep - oct 1995.

 

<http://bridgepros.com/projects/LePontde%20Normandie/LePontdeNormandie.htm>. Acesso em: 29 de jan. de 2004.

 

<http://www.cpmac.com/ang/article.php3?id_article=15>. Acesso em: 29 de jan. de 2004.

 

 

 

Esta página pode ser melhor visualizada na resolução 1024X768.