PEF 2601 - Estruturas na Arquitetura I: Fundamentos
TRABALHOS

Os alunos da disciplina PEF-2601 "Estruturas na Arquitetura I: Fundamentos" deverão desenvolver dois projetos ao longo do semestre, a serem realizados por grupos de cinco alunos.

 O primeiro projeto é voltado à construção de um modelo de uma casca submetida apenas a compressão e o segundo projeto é de observação de estruturas do nosso quotidiano.

 Os principais objetivos destes projetos são:

 1.     Apresentar aos alunos a obra de Heinz Isler;

2.     Estimular os alunos a conceberem um modelo de uma casca submetida apenas a compressão utilizando o procedimento desenvolvido por Heinz Isler e construírem-no em um laboratório;

3.     Estimular os alunos a observarem as construções que nos cercam e nelas identificarem sua estrutura;

4.     Estimular os alunos a procurarem compreender como funcionam as estruturas;

5.     Mostrar como os modelos matemáticos examinados nas aulas se ligam às estruturas reais;

6.     Estimular os alunos a utilizarem um programa de análise estrutural;

7.     Estimular o trabalho em grupo;

8.     Estimular a redação de relatórios técnicos.

  

Projeto 1: Elaboração de um modelo de uma casca submetida apenas a compressão

 

1.1 Descrição do projeto

 Deverá ser elaborado um modelo de uma casca submetida apenas a compressão quando solicitada por seu peso próprio, empregando o procedimento utilizado por Heinz Isler no projeto de suas cascas.

 

 

Figura 1: Heinz Isler (1926 – 2009)

 

Este procedimento consiste em se utilizar um tecido dependurado em alguns pontos de apoio, gerando uma estrutura submetida apenas a tração quando submetida a seu peso próprio. Uma casca obtida pela inversão da forma desta membrana ficará apenas comprimida quando submetida exclusivamente ao peso próprio.

 

O engenheiro suíço Heinz Isler, que nasceu em 1926 e faleceu em 2009, por mais de 40 anos projetou e construiu coberturas de concreto armado cuja forma foi obtida por meio da inversão da forma apresentada por membranas tracionadas. Na Figura 2, apresentam-se duas fotografias de um de seus projetos, as cascas de cobertura de um posto de gasolina na localidade de Deitingen, na Suíça, cuja forma foi obtida desta maneira. Executadas em 1968, as duas cascas simétricas desta cobertura são apoiadas em três pontos, e possuem 31 m de vão, 11,5 m de altura e apenas 9 cm de espessura em seu trecho superior.

 

         

 

Figura 2: Cobertura de posto de gasolina em Deitingen, Suíça

Na execução dos modelos, um tecido deverá ser dependurado nos pontos de apoio da casca; ele se encurvará, e provavelmente ficará enrugado. Cortando-se as bordas do tecido, as rugas poderão ser eliminadas e a forma da futura casca obtida. Colocando sobre o tecido uma camada uniforme de material que endureça, como, por exemplo, gesso ortopédico, será obtido o modelo de casca procurado, que deverá então receber um acabamento final.

 

Modificando o número e as posições dos apoios, poderão ser obtidas cascas muito variadas.

 

Na Figura 3, apresentam-se fotografias de algumas das fases da execução de um modelo feito pela aluna Maria Janaro em seu curso de Mestrado em Engenharia de Estruturas realizado na Universidade de Princeton, nos Estados Unidos. Empregando o procedimento de Isler, ela elaborou o modelo de dois dos módulos da cobertura de um conjunto de quadras de tênis por ele projetada e construída em 1978 em Heimberg, próximo a Berna, na Suíça. No site http://mcis2.princeton.edu/swisslegacy/lab_5.html# , além destas fotografias, vocês encontrarão outras informações sobre o trabalho da aluna Maria Janaro.

 

 

 

Figura 3 Fases da execução de um modelo de casca pela aluna Maria Janaro

 

Sugere-se que vocês procurem ser bastante criativos na concepção das suas cascas. Para conhecerem melhor o trabalho de Heinz Isler, sugere-se que vocês leiam o artigo “Concrete Shells Derived from Experimental Shapes”, do próprio Isler, publicado em agosto de 1994 pela revista “Structural Engineering International”, que pode ser encontrado no site http://www.ingentaconnect.com/content/iabse/sei/1994/00000004/00000003/art00002.

 

Além disso, no item 1.5 deste texto vocês encontrarão uma relação de sites da internet com artigos, teses e apresentações em powerpoint em que o trabalho de Isler é discutido e experiências semelhantes à que vocês elaborarão são apresentadas.

 

O Laboratório de Estruturas e Materiais Estruturais – LEM do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica da Escola Politécnica poderá dar apoio na construção dos modelos, e pede-se aos interessados em solicitar este apoio ao LEM o favor de entrarem em contato com o seu Coordenador, Eng. Ivan Tessarolo, pelo telefone 3091-5233

 

1.2 Relatório

 

Deverá ser elaborado um relatório escrito apresentando a obra de Heinz Isler, as idéias que nortearam a concepção do modelo, uma descrição detalhada de sua execução, incluindo fotografias das fases de sua elaboração e de todos os membros do grupo participando de sua construção, e comentários gerais sobre a confecção do modelo, incluindo as dificuldades encontradas em sua concepção e execução.

 

1.3 Apresentação do modelo aos colegas

 

O modelo será apresentado pelo grupo aos colegas às 8:00 hs do dia da realização da prova substitutiva, o dia 27.6.2011.

 

1.4 Avaliação do projeto

 

Na correção do projeto, serão avaliados:

 

1.     A pesquisa realizada e o trabalho de síntese relativos à apresentação da obra de Heinz Isler (valor: 2,0);

2.     A originalidade do modelo elaborado (valor: 2,0);

3.     A correção da aplicação do procedimento de Isler na execução do modelo (valor: 2,0);

4.     A qualidade da confecção do modelo (valor: 2,0);

5.     A correção de linguagem do relatório (valor: 0,67);

6.     A qualidade das fotografias (valor: 0,67);

7.     A estrutura e a qualidade da apresentação do relatório (valor: 0,67).


 

 

1.5 Entrega do modelo e do relatório

 

O modelo e o relatório deverão ser entregues na Secretaria do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica da Escola Politécnica no dia da apresentação do modelo aos colegas, o dia 27.6.2011, das 11h00 às 17h00; a Secretaria do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica da EPUSP localiza-se no andar térreo do Edifício da Engenharia Civil.

 

1.6 Referências

 

  1. http://www.ce.jhu.edu/perspectives/presentations_04-05/modeling.ppt
  2. http://elib.uni-stuttgart.de/opus/volltexte/2001/761/pdf/wendland.pdf
  3. http://www.boesiger-ag.ch/index.htm
  4. http://www.byggmek.lth.se/fileadmin/byggnadsmekanik/publications/tvsm5000/web5149.pdf
  5. http://designexplorer.net/newscreens/cadenarytool/KilianACADIA.pdf
  6. http://www.mathematik.uni-stuttgart.de/forschung/sfb404preprints/2003pp27.pdf
  7. http://www.cca.qc.ca/pages/Niveau3.asp?page=mellon_kemp&lang=eng
  8. http://web.eng.fiu.edu/~mirmiran/Papers/Special%20Structures%20Past%20Present%20and%20Future%20In%20Commemoration%20of%20the%20Sesquicentennial%20of%20ASCE.pdf
  9. http://biblion.epfl.ch/EPFL/theses/2004/2986/EPFL_TH2986_screen.pdf
  10. http://www.emanate.org/iice05.htm
  11. http://www3.interscience.wiley.com/journal/117930238/abstract?CRETRY=1&SRETRY=0
  12. http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/ad.1108/abstract
  13. http://www.guardian.co.uk/theguardian/2009/aug/24/obituary-heinz-isler
  14. http://www.architonic.com/ntsht/concrete-in-architecture-1-a-material-both-stigmatised-and-celebrated/7000525
  15. http://www.generativeart.com/on/cic/papers2005/37.semraarslanselcuk.htm
  16. http://blog.buildllc.com/2009/04/heinz-isler-a-few-important-things/
  17. http://anengineersaspect.blogspot.com/2009/10/27-heinz-isler-concrete-thin-shells-on.html
  18. http://commons.wikimedia.org/wiki/Category:Isler-Schale_Recherswil
  19. http://www.ecs.umass.edu/~arwade/models/isler_model/isler_model.htm
  20. http://www.somfoundation.som.com/resources/fellows/ESegal%20--%20Final%20Report%20--%202008%20SOM%20Structural%20Engineering-reduced.pdf
  21. http://formactive.pbworks.com/f/MWeller_Proposal_9-26.pdf
  22. http://www.rpschmitz.com/linked%20media/fabric%20forms%20for%20architectural%20concrete-cpi%20magazine.pdf
  23. http://www.cs.rpi.edu/research/groups/graphics/theses/allan_pendergrast_MS_June2010.pdf
  24. http://www.icevirtuallibrary.com/content/article/10.1680/cien.2005.158.4.178
  25. http://www.ingentaconnect.com/content/iabse/sei/1994/00000004/00000003/art00002
  26. http://www.amazon.com/Heinz-Isler-Engineers-Contribution-Architecture/dp/0727728784/ref=sr_1_2?ie=UTF8&s=books&qid=1239477240&sr=8-2
  27. http://en.structurae.de/persons/data/index.cfm?id=d000017
  28. http://issuu.com/jesseseegers/docs/110119_final_paper_layout
  29. http://livemodern.com/designblogs/d375ce8510a3a11886a8362cb82e354f

 
 

Projeto 2: Observação de estruturas do quotidiano

 

2.1 Descrição do projeto

 Deverão ser analisadas duas estruturas – à escolha dos alunos – dos tipos a seguir discriminados:

 1.     Uma estrutura cujos principais elementos estruturais sejam arcos triarticulados;

 2.     Uma estrutura cujos principais elementos estruturais sejam vigas Gerber ou então um guarda-chuva simples, não desmontável, ou um guarda-sol.

 

2.2 Descrição das análises

 As análises das estruturas escolhidas deverão conter:

 1. Fotografias da estrutura e de seus detalhes, principalmente das ligações entre seus elementos e dos seus apoios, tiradas pelos próprios alunos. Elas deverão incluir fotografias dos membros do grupo junto às estruturas escolhidas.

 2. Exame das estruturas, com respostas aos seguintes itens:

2.1 Qual é o material da estrutura?

2.2 Quais são as cargas que atuam na estrutura?

 2.3 Como é o modelo matemático da estrutura (apresentar um esquema do modelo matemático da estrutura, com as cargas que nelas atuam)?

 2.4 Como são as ligações entre os elementos da estrutura (apresentar os esquemas dos modelos matemáticos das ligações e fotografias mostrando estas ligações)?

 2.5 Utilizando o programa Ftool, programa de análise estrutural de estruturas reticuladas planas desenvolvido pelo Prof. Luiz Fernando Martha, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e disponível na internet no site http://www.tecgraf.puc-rio.br/ftool/, resolver o modelo matemático da estrutura e apresentar a sua deformada.  Como o programa Ftool só se aplica à resolução de estruturas planas, pede-se que seja resolvido apenas um dos arcos ou uma das vigas Gerber das estruturas analisadas. No caso do guarda-chuva, pede-se que seja concebido um modelo plano que inclua uma de suas varetas e a haste que contém o cabo do guarda-chuva e que este modelo plano seja resolvido com o programa Ftool. 

 2.6 Como os esforços considerados no item 2.5 caminham pela estrutura até chegarem aos apoios (obs.: a deformação de uma estrutura dá uma ótima indicação de como os esforços caminham por ela)?

Reapresentar o esquema do modelo matemático do item 2.3 e sobre ele indicar o caminho que os esforços considerados no item 2.5 percorrem até chegar aos apoios.

 2.7 Utilizando os resultados da análise pelo programa Ftool, verifiquem que esforços atuam nos vários elementos da estrutura – tração, compressão, flexão, torção, compressão e flexão conjuntamente, etc.

 

Obs. Os professores da disciplina conhecem as limitações dos alunos, e não esperam que as respostas a estes itens venham a ser absolutamente perfeitas e rigorosas.

 

O objetivo do projeto é fazer os alunos pensarem em como as estruturas se comportam e em como elas trabalham. O esforço feito pelos alunos no sentido de entenderem o comportamento das estruturas é que será valorizado, e não uma explicação completa e exata deste funcionamento, o que, para algumas das estruturas escolhidas, poderá estar acima do nível de conhecimento dos alunos desta disciplina.

 

2.3 Instruções relativas aos dados a serem fornecidos ao programa Ftool

 Ao utilizar o programa Ftool, deve-se informar o material da estrutura e as dimensões das seções transversais das barras.

 Deve-se também fornecer as cargas que irão atuar na estrutura.

 

2.3.1 Cargas

 Arcos triarticulados

 Com relação às cargas, no caso dos arcos triarticulados, pede-se que se considere apenas uma força uniformemente distribuída vertical atuando ao longo de todo o eixo do arco. Quando a carga real não puder ser estimada, sugere-se que se utilize uma força uniformemente distribuída de 40,0 kN/m. 

O Ftool não possui a opção de traçar vigas de eixo curvo, e o eixo do arco triarticulado terá então que ser aproximado por uma poligonal. A força uniformemente distribuída vertical mencionada no parágrafo anterior é a carga vertical por metro de comprimento do eixo inclinado que deve ser aplicada ao longo de toda a poligonal.


Vigas Gerber

Com relação às cargas, no caso das vigas Gerber pede-se que se considere apenas uma força uniformemente distribuída aplicada ao longo de todo o comprimento da viga. Quando a carga real não puder ser estimada, sugere-se que se utilize uma força uniformemente distribuída de 40 kN/m.

 

Guarda-chuva

 Com relação à carga do vento no guarda-chuva, sugere-se que se considere uma pressão de vento sobre o guarda-chuva de valor 0,60 kN/m2.

 

2.3.2 Material

 O programa já oferece como alternativas dois materiais: aço e concreto.

 Caso a estrutura seja de madeira ou de outro material, sugere-se que o respectivo módulo de elasticidade seja procurado em um livro de resistência dos materiais ou de materiais de construção.

 

2.3.3 Seção transversal

 Arco triarticulado

 Quanto à seção transversal do arco triarticulado, sugere-se que sejam utilizadas as seguintes dimensões quando as reais dimensões da estrutura não puderem ser estimadas:

 Para os arcos de concreto, utilizar uma seção retangular vazada de altura A igual a um vigésimo do vão; adotar a largura  e a espessura , com um mínimo de 20 cm (conforme a figura abaixo).

 

 

 

 

Para os arcos de aço: utilizar uma seção retangular vazada de altura A igual a um quadragésimo do vão; adotar  e  (conforme a figura acima).

 

Vigas Gerber

 Quanto à seção transversal da viga Gerber, sugere-se que sejam utilizadas as seguintes dimensões quando as reais dimensões da estrutura não puderem ser estimadas:

 

  • Para vigas retas de concreto: utilizar uma viga de seção transversal retangular com altura igual a um décimo do comprimento dos vãos simplesmente apoiados e a um quinto do comprimento dos balanços; usar como largura da viga um quinto da altura, com um mínimo de 20 cm.

 

  • Para vigas retas de aço: utilizar um perfil I com altura igual a um vigésimo do comprimento dos vãos simplesmente apoiados e a um décimo do comprimento dos balanços; adotar , e  (conforme a figura abaixo).

 

 

Guarda-chuva

 As dimensões dos elementos do guarda-chuva poderão ser medidas diretamente.

 

2.4 Relatório

 Deverá ser elaborado um relatório escrito apresentando as análises das estruturas escolhidas pelo grupo, que deverá ser entregue na Secretaria do Departamento de Engenharia de Estruturas e Geotécnica da Escola Politécnica no dia 27.6.2011, das 11h00 às 17h00.

 

2.5 Avaliação do projeto

 Na correção do projeto:

 1.     Será verificado se as estruturas analisadas correspondem às solicitadas (valor: 1,0);

2.     As fotografias serão avaliadas quanto à sua capacidade de mostrar as estruturas e seus detalhes (valor: 2,0);

3.     Será verificado se os itens 2.1 a 2.7 foram adequadamente respondidos (valor: 4,0);

4.     Será avaliada a correção de linguagem do relatório (valor: 1,0);

5.     Será avaliada a qualidade das fotografias (valor: 1,0);

6.     Serão avaliadas a estrutura e a qualidade da apresentação do relatório (valor: 1,0).

 

3 Inscrição dos grupos de projeto

 Os grupos de projeto, com cinco alunos – que podem ser de turmas diferentes –, deverão fazer suas inscrições até as 16h00 do dia 18/5/2011, quarta-feira, em uma lista existente na Secretaria do AUT.

 

4 Avaliação da disciplina

 A nota de aproveitamento na disciplina é:

 A = (3 . P1 + 4 . P2 + 1 . Pr1 + 1 . Pr2 + 1 . E) / 10

 sendo P1 e P2 as notas da primeira e da segunda prova, Pr1 e Pr2 as notas do primeiro e do segundo projeto e E a nota dos exercícios.

 

 

         APRESENTAÇÃO      PROGRAMA      PROFESSORES      MONITOR      HORÁRIOS      CRONOGRAMA     TRABALHOS      VISITAS      AVALIAÇÃO      BIBLIOGRAFIA      EXERCÍCIOS      GABARITOS      ANIMAÇÕES       LINKS